quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Personna Mutantis

Uma Nova Humanidade
"Não, não tenho caminho novo, o que tenho de novo é o jeito de caminhar."

      Thiago de Mello

Fala sério que já estamos em 2012? Putz, quem aguenta essa pressa? Na boa; isso está ficando chato!

Entra ano, sai ano, e é sempre a mesma coisa; neguinho tentando nos enfiar goela abaixo a eterna sensação da esperança naquilo que é “novo”. Como se o bonito invólucro transformasse o produto!

Por acaso alguém conhece um psicopata que foi tocado pelo condão da Fada Sininho, em noite de Ano Bom, tornando-se, a partir de então, um cordato cidadão? Ou um político que seja ex-ladrão, que tenha se arrependido da corrupção no ápice da comemoração, tornando-se exemplo ao correligionário de ocasião?

Ou será que, dentre os premiadíssimos leitores, há aquele que tenha decidido que a partir da virada de ano, passaria a lavar as mãos após dar aquela sacudida no bilau? Respingos e gotículas à parte, balela total, né não? (Nota: este Maltrapa lava)

Eu, pelo menos, não me lembro de nenhuma mulher haver dito: “Como é ano-novo, resolvi parar de dar em cima de homem casado!”. Na verdade, podem até dizer, mas cadê aquela que tenha cumprido a promessa?  Cadê? Mostra aí!...

Mesmo em tempo de “amor e esperança”, tem muito morador que buzina em área residencial, e não vi indício de que iriam deixar de fazê-lo por conta do ano que chega. Ou de desperdiçar um Nilo de água, lavando o calçamento e, pasmem, o asfalto em frente a suas casas; não vi menção de que tão cedo reveriam seus conceitos. Nem o show do Roberto Carlos em Jerusalém foi capaz de motivá-los a tal, ainda que suas mensagens sejam tão ao gosto da classe-média da Capital.

Não vi também qualquer anúncio oficial quanto à possibilidade da nossa Presidenta passar a discutir questões delicadas - conquanto sejam de um estrondoso e negativo impacto humano e ambiental - de um modo digno e responsável. Belo Monte?  Porto de Ilhéus? Devastação de Mata-Atlântica virgem, Floresta Amazônica, comunidades ribeirinhas, povos indígenas, corais e manguezais? “Ah, tá...” – disse ela. E pensar que, só porque o ano é novinho, o modus operandi da política vai mudar? Só o Tiririca tem a resposta, né, abestado?

Na boa, alguém aqui acha que uma bela noite de Réveillon - bebendo a melhor cachaça do mundo, esticada no palheiro do celeiro, em meio a todos os bezerros de sua fazenda - fará Kátia Abreu se tornar mais amorosa? Ou educada? Ou respeitosa? Fará? Só mesmo se o menino-Jesus saísse da garrafa para tocar aquele coração de soja...

Mas se, então, toda a energia pretensamente positiva emanada pela humanidade fosse realmente aproveitada pelo cosmos, transformando-se, pois, em combustível para mudanças reais em nossa existência? Que nos estimulasse a pensar na pequenez do modelo de vida que o mundo abraçou; feio, sujo, malvado... No qual os atuais bambambãs são pessoas que agem à imagem e semelhança desse modelo desumano, sendo ainda invejadas e copiadas por bilhões.
 Afinal, quem aguenta viver de tanto simulacro?

Quem aguenta o Natal tão material? Ou o Réveillon sem ritual? O que dizer sobre o atual Carnaval?  O São João? Os coitados do São Cosme e Damião? Cadê a essência dessa bodega?  Até os sacrossantos ovos da Páscoa, esses canalhas conseguiram piorar e diminuir; puta merda!

Será mesmo que desejar um bom ano não deveria significar refletirmos radicalmente sobre nossos conceitos, ou mesmo sobre a falta de conceito que impera em nossa contemporaneidade?

Por que não aproveitar essa desgraça que se tornou a vida moderna e fazer uma parada nos boxes, desenvolvendo alternativas para prosseguir, não necessariamente objetivando chegar em em primeiro, mas que fosse, naturalmente, juntos? 




foto de joão sassi


12 comentários:

Pollyana Maria disse...

João! Feliz Natal atrasado, pra vc e pra Marcya! Seu texto me fez lembrar a frase de Gandhi: “Seja você a mudança que espera ver no mundo.” Então... Feliz 2012, se o mundo não acabar , a gente se esbarra qualquer hora :). Abração!!!

O Maltrapa disse...

Você captou a exatamente o que eu quis transmitir, Pollyana: a maior mudança tem de ocorrer dentro de nós mesmos.

Beijão e boas energias para agora e sempre; 2012 é só um detalhe!

O Maltrapa

Ludinovo disse...

Caim caim caim...

Levo sim...a madeira do gigante na carcunda do metal

Vamos todos juntos quebrar a casca do ovo de novo.

Te amo , vice!?

O Maltrapa disse...

Hahaha! Apronta de tudo e ainda é homenageada!

Beijo enorme,

Maltrapa

Sentilavras disse...

Olha, assim não dá! Como é q tu pega um tema sério e importante desse e me faz rir como se fosse piada?!

Adorei o texto. E concordo com cada palavra.

João Carlos Assumpção disse...

Também concordo com seu texto, bem legal, como de costume, Maltrapa. Gostei do que escreveu sobre a ruralista Kátia Abreu. Apesar de nem sempre lavar as mãos (eu) depois de... Bom, deixa pra lá, pequenas transgressões fazem parte. Obrigado pelo texto que me enviou sobre o Maraca em O Globo, vou até escrever sobre a questão dos estádios que estão virando shopping centers, ó a nossa cultura trazida da Europa, mas deixo isso pro ano que vem. Que já está aí. E hoje comemoro aniversário de um graaande amigo meu, amanhã na virada devo estar lendo ou dormindo. Mas certamente não vendo o Réveillon da Globo ou o de qualquer outro canal. Um abração, Janca

O Maltrapa disse...

Rizível, cara Sentilavras, é achar que só há um modo de caminhar - isso sim, parece piada, e de extremo mau-gosto. O mundo, tal como está, só quer nos ferrar, bem o sabemos.

Tentei passar esse recado de maneira leve - e parece que consegui!

Boas energias!

O Maltrapa
_________________________________

Fala, xará!

Também gostei da passagem sobre a Kátia Abreu; aquela que nunca baixa a guarda! Bem se vê que ela não distingue transgressão de agressão...

Achei aquele texto sobre o Maraca de uma importância enorme. Até chorei quando o estava lendo. O simbolismo é o que há de mais precioso em nossa existência. A oposição entre um shopping (um não lugar) e o Maracanã (um templo sagrado) é a mais contundente prova do equívoco que ora rege a humanidade.

Grande abraço pra você, Janca!

Tem sido um prazer trocar essas figurinhas com você; espero que possamos contribuir para que as pessoas mudem com nossas mudanças - e vice-versa. Valeu!

O Maltrapa

Johannes disse...

Vens ao Ceará a trabalho ou a passeio Maltrapa?

O Maltrapa disse...

Grande Johannes, vou trabalhar minhas férias, de modo a torná-la produtiva e prazerosa...

Acho que li, certa vez, lá no Janca, que você era da área, confere? Até pensei em pedir umas dicas, mas faltava intimidade!

Se possível, deixe seu contato no emêio do Maltrapa (oantropolicomaltrapilho@gmail.com) para que eu possa te escrever contando os meandros desta empreitada!

Abração,

O Maltrapa

Anônimo disse...

Olá João!!! gostei do texto da forma e da profundidade... mas temos que focar no nosso aperfeiçoamento, mesmo que continuemos a errar anos após anos...eu acredito em fadas!!!! podemos, devemos e vamos caminhando para perfeição... vamos nos encontrar em outro plano, cheio de coisas bonitas, leves, harmoniosas, amorosas, perfeitas, cheirosas, desapegadas, alegres, saudáveis,etc... trazer isso para este mundo é que são elas... difícil, complexo e quem sabe chegaremos ao leito de morte sabendo que não alcançamos... cadê as sereias, iemanjá??? mas devemos persistir, plantar, amar, tentar, tentar de novo o novo...
adorei 'CORAÇÃO DE SOJA' foi fantástico!!!!!! Axé para Katia Abreu e tod@s os nossos desafetos... FELIZ 2012!!!

O Maltrapa disse...

Olá, caro Anônimo (nunca vi anônimo me chamando pelo nome! :p),

Gostei de como você termina suas colocações, "tentando o novo de novo", pois esta me parece ser, não apenas a melhor, senão a única opção para que possamos vislumbrar o idílico plano existencial que você relata.

Não sou de levar fé em previsões catastróficas baseadas em credos vãos. No entanto, pelo andar da nossa carruagem, vem poeira por aí! E tomara que o mundo saia, de novo, da casca do ovo, e cheio de vida!

Boas energias em 2012,

O Maltrapa

Sentilavras disse...

Atualiza aí!